Biografia


Pitbull, estrela internacional da música, já vendeu milhões de singles em formato digital (incluíndo o seu êxito “Hey Baby”, em colaboração com T-Pain, o duplo-platinado “I Know You Want Me [Calle Ocho],” “Hotel Room Service,” “Krazy,” e “Culo”); conta com dois números 1 no Top de álbuns Rap da Billboard (os discos M.I.A.M.I. e Rebelution, que também se estreou no número 8 do Top200 da Billboard); e tem colaborado com muitos artistas, tais como Usher, Enrique Iglesias, Jennifer Lopez, Shakira e Janet Jackson. No mundo dos negócios, Pitbull (cujo nome original é Armando Christian Pérez) lançou o seu prório selo na Polo Grounds Music/J Records (Mr. 305 Records), esteve envolvido nos projectos da marca Voli, fez uma parceria com a Sheets, fechou variadas acções de patrocínio com diferentes marcas, entre as quais Kodak, Dr. Pepper, Bud Light e solidificou a sua enorme popularidade ao lançar o seu primeiro álbum em espanhol, Armando, que inclui o single "Bon Bon", o qual entrou no Top 5 Latino da Billboard. Não sendo ainda suficiente, Pitbull foi nomeado pela sua cidade-natal Miami com a distinção de 'Key to the City', expressando o agradecimento pela imagem positiva que o artista trouxe à noite da Florida.

Quando Pitbull afirma que apelidou o seu novo álbum de 'Planet Pit' por sentir que o mundo é seu neste momento, não é apenas por dizer. “Não estou a dizer que eu mando no mundo, apenas sinto que construí o meu próprio planeta”, afirma ele. “Muitas pessoas estão a ouvir-me, seja com a minha própria música ou com participações nos temas de outros artistas. Quando ‘I Know You Want Me [Calle Ocho]’ foi lançado, comecei a viajar pelo mundo e vi o impacto que um tema de sucesso pode ter — a forma como junta as pessoas. Agora tenho objectivos ainda mais elevados. Quando comecei a criar 'Planet Pit', eu disse ‘Okay, Pitbull foi porreiro, Mr. 305 foi fantástico — agora é tempo de Mr. Worldwide.’”

Para ser Mr. Worldwide é preciso gerar muita atenção, mas se há coisa que Pitbull tem — para além de ritmos fogosos, batidas que valem uma fortuna e temas globalmente reconhecidos — é charme. Sempre impecavelmente vestido, Pit entra em qualquer local rodeado de amigos, falando em Espanhol, uma rapariga linda e a sua equipa. Entre mensagens escrits e e-mails nos seus dois telemóveis, Pit tem a capacidade de fazer todas as pessoas sentirem-se em cada, chamando-os de “Mama” ou “Papo” e perguntando se necessitam de algo. Ele é um verdadeiro profissional: confiante e carismático — uma verdadeira estrela.

A personalidade magnética de Pit electrifica o álbum 'Planet Pit' —uma mistura de rap, batidas explosivas influenciadas pela música que Pit ouviu ao crescer e viver em Miami, que inclui uma grande variedade de sons dançantes, graças aos estilos Cubanos, Dominicanos, Colombianos e Caribeños que sempre o rodearam. “Cresci a ouvir salsa, merengue, bachata, freestyle, depois comecei a ouvir hip hop. Mistura-se tudo, a chamada paelha em espanhol — é o que estou a tentar fazer com este álbum,” diz Pit, que já actuou em vários locais desde França, Indonésia, África do Sul, Brasil, Singapura, entre muitos outros, enquanto promovia 'Rebelution'. “Incorpora um pouco de todos os locais onde estive. Por exemplo, ‘Shake Señora’ conta com T-Pain, que é do Tallahassee e Sean Paul, que traz o feeling Jamaicano. Eu estou a tentar ser o embaixador;o construtor da ponte que traz elementos de todo o mundo e põe-los todos juntos, para que soem a algo novo.”

O novo single deste álbum, “Give Me Everything,” conta com as participações de Ne-Yo, Afrojack e Nayer. Tal como este êxito, 'Planet Pit' é um álbum que conta com a colaborações de grandes nomes da pop, tais como Marc Anthony (“Rain Over Me”), Jamie Foxx (“Where Do We Go), Chris Brown (“International Love”), e Kelly Rowland (“Castles Made of Sand”). Para dar um toque diferente, Pit rodeou-se de outros grandes artistas, tais como T-Pain (“Hey Baby”) e Sean Paul. Para juntar todos estes estilos diversificados, Pit colaborou com consagrados produtores, contando com nomes desde David Guetta a Afrojack (“Something 4 The DJ’s), RedOne, Polow Da Don e DJ Frank E. Na verdade, o tema “Come & Go” que conta com a participação Enrique Iglesias marca a primeira vez que os super produtores Dr. Luke, Benny Blanco e Max Martin trabalham com Pit. “O objectivo para 'Planet Pit' foi construí-lo com 10 grandes singles” afirma Pit. “Quero que cada tema tenha um grande potencial, não apenas dois temas e o resto seja uma porcaria”.

Com os seus ritmos implacáveis, esta música é perfeita para as discotecas, mas Pit já provou que consegue alcançar públicos mais urbanos, Latinos, e Pop com o seu tema de influência brasileira, “I Know You Want Me (Calle Ocho),” que catapultou para o Nº 2 no Top Hot 100 da Billboard e Top 5 internacional, incluindo o Reino Unido e Canadá. A sua sonoridade, aliada aos elementos de hip-hop e Euro-dance são a fórmula explosiva de conquistar as tabelas de vendas.

Em palco, Pit mostra esta combinação personalizada de estilos, aliado à energia da sua banda ao vivo. O resultado entre a colaboração do cantor com a banda cria uma atmosfera festiva e espontânea, que não seria possível recriar sem os seus músicos. “Quando oiço as congas e o baixo a tocar atrás de mim, nada me pode tocar. Parece que estou a cavalgar uma lâmpada cheia de luz.” Mas a verdadeira beleza de Planet Pit está no facto do seu criador nunca esquecer as suas origens e da gratidão pelas pessoas gostarem da sua música.

Pit aprendeu o poder das palavras desde novo. Os seus pais fizeram parte da primeira geração de Cubanos imigrantes, tendo o seu pai lhe ensinado a recitar poesia Cubana. Depois dos seus pais se divorciarem, Pit teve uma relação complicada com o seu pai, que conseguiu ganhar uma boa quantia de dinheiro nas ruas, mas que rapidamente aprendeu que o dinheiro arrecadado rapidamente mais rapidamente desaparece. A sua mãe também se esforçou para sobreviver e Pit andou de casa em casa durante algum tempo, chegando a passar algum tempo com uma família de acolhimento em Roswell, Georgia. Inspirado por Nas e The Notorious B.I.G., Pit começou a cantar rap no ensino secundáruo, após se expulso de casa pela sua began rapping in high school. Acabou por se graduar e focou-se na sua carreira, indo a discotecas e actuando onde pudesse. He managed to graduate and began to focus on his career, hanging out in clubs and performing wherever he could. Mais tarde, Lil Jon convidou Pit para entrar no seu álbum 'Kings of Crunk' (2001), tento tido a oportunidade de posteriormente mostrar outros trabalhos.

Em 2004, Pitbull assinou contrato com a TVT Records, que lançou os seus três primeiros álbuns, M.I.A.M.I.: Money Is A Major Issue (2004), El Mariel (2006) e The Boatlift (2007), ganhando a reputação de um rapper bastante versátil. Através das colaborações com o seu mentor Lil Jon, Pit colecciona hoje um grande número de hits, incluindo “Krazy” e “The Anthem.” Depois de abandonar a editora e assinar contrato com a Polo Grounds Music/J Records, Pitbull continuou a ser reconhecido pelo seu trabalho, ganhando o pimeiro prémio “Latin Digital Download Artist of the Year” nos Prémios Billboard Latin Music.

Enquanto se prepara para o dia 21 de Junho de 2011, Pitbull está preparado para apresentar Mr. Worldwide ao mundo.